AffonsoRitter.com.br
 
 
Última atualização às:
19:22 - 21/11/2019
Página principal com destaques Destaques
Confira todas as notícias Notícias
Confira nossa NewsLetter NewsLetter
Saiba quem é Affonso Ritter Quem é ?
Entre em contato Contato
Seção Empreendedores Empreendedores
Seção Amantes do Vinho Amantes do Vinho
Dicas de Links Dicas de links
 
BRDE
Banrisul Credito Consignado
Sicredi - Conta Poupanca
GBOEX
Intelig?ncia em Tecnologia da Informa??
 
Ponte do Guaíba é prioritária

O governo Michel Temer quer reformular o PAC, tornando-o mais enxuto, e, para isso, vai se concentrar nas obras que podem ser concluídas até 2018. A meta é desembolsar mais R$ 80 bilhões até o fim do ano que vem para terminar obras em andamento, com desembolsos anuais de cerca de R$ 40 bilhões no período. A lista inclui vitrines da administração petista, como a Ferrovia Norte-Sul e a transposição do Rio São Francisco. No ano passado, o PAC custou aos cofres públicos R$ 42 bilhões, ritmo que deve ser mantido. Em 2015, o governo havia pago R$ 50,7 bilhões para manter o programa. O secretário responsável pelo programa, Hailton Madureira, afirmou ao Globo que a ordem agora é usar os restritos recursos do Orçamento para concluir obras em curso e não ter mais esqueletos no país. Na lista de obras que serão priorizadas estão a Ferrovia Norte-Sul, a rodovia BR-163, no Pará, a transposição do Rio São Francisco, os aeroportos de Vitória (ES) e Macapá (AP), e a ponte do Rio Guaíba, no Rio Grande do Sul. "Estamos concentrados em utilizar espaço financeiro compatível com o Orçamento. Não queremos pulverizar esforços e recursos, estamos focados nas obras em curso. Precisamos gerar retorno", disse o secretário.

Incluída em: 23/01/2017 - 05:06

VoltarVoltar

 
  18:30 - Perfil da reforma tributária
  18:25 - Hotel amplia sua capacidade
  18:24 - Novo condomínio Zona Sul
  18:23 - Um novo hotel em Gramado
  18:22 - A administração de riscos
  18:21 - Parcerias Brasil e Alemanha
  18:20 - Entregas sem papel em 2020
  18:17 - Cheque especial vai mudar
  18:14 - A abertura será irreversível
  18:09 - Receita cresce 1,9% reais